O Ethereum é a segunda maior blockchain em termos de valorização, logo após o Bitcoin. Sua capitalização é de cerca de 212 bilhões de euros (dados de novembro de 2023), contra os 700 bilhões de euros do Bitcoin no mesmo período. Esta criptomoeda, uma das mais promissoras, permite a construção de aplicativos descentralizados em sua plataforma. Entre as várias maneiras de obter Ethereum (ETH), encontra-se uma nova forma de “mineração”. Trata-se do staking, que é feito por meio do mecanismo Proof of Stake (PoS). A nova técnica, que substituiu a Proof of Work (PoW), é mais eficiente em termos energéticos na validação das operações da rede e criação de novos blocos.

O que este guia vai te ensinar:

Neste guia, você aprenderá os fundamentos do staking de Ethereum: os diferentes métodos, plataformas e pools de staking, passos essenciais, etc.

Coisas que você deve saber antes de comentar neste guia:

Nenhuma habilidade específica é necessária.

Staking de Ethereum é uma prática cada vez mais popular em terras lusitanas. Este criptoativo, distinto pela sua natureza inovadora e sua plataforma de contratos inteligentes, emerge como um dos mais valorizados e reconhecidos no panorama global. Tanto que o ETH é a segunda criptomoeda mais valiosa entre as milhares existentes, perdendo apenas para o Bitcoin.

Ilustração do Ethereum

A prática de staking é uma forma de participar ativamente na rede de criptomoedas. E se deseja ganhar recompensas em Ethereum, tão importante quanto as técnicas empregadas na atividade, é imprescindível entender em que ela consiste! Por exemplo, o ETH possui um fundamento muito diferente do Bitcoin. Ao contrário deste último, por enquanto o Ether não tem um limite máximo de emissão, ao passo que, a longo prazo, nunca haverá mais de 21 milhões de Bitcoins em circulação no mercado digital.

Mas vamos com calma. Neste artigo, mergulharemos no mundo do staking de Ethereum, explorando seus princípios fundamentais, o impacto da sua transição recente para o sistema Proof of Stake e as implicações desta mudança tanto para mineradores individuais quanto para a rede como um todo.

E claro, vamos ensinar como pode dar os primeiros passo neste mundo fascinante e cheio de oportunidades.

Binance

  • Baixas taxas
  • Mais de 600 criptomoedas
  • Maior troca de criptomoedas

Staking de ETH: vocabulário essencial

Representação da criptomoeda Ether

Antes de começar, vamos estabelecer um vocabulário comum para entendermos melhor cada um dos conceitos dessa atividade. Staking de Ethereum envolve um léxico específico, essencial para uma compreensão aprofundada da sua operacionalidade. Eis alguns dos principais termos:

  1. Blockchain: cadeia sequencial e segura de blocos digitais onde as transações são registadas.
  2. Ethereum: plataforma de blockchain que suporta a execução de contratos inteligentes e o desenvolvimento de aplicações descentralizadas.
  3. Ether (ETH): moeda digital nativa da rede Ethereum, utilizada para transações e pagamento de taxas na rede.
  4. Mineração: processo de validar transações e adicionar novos blocos à blockchain, sendo recompensado com Ether.
  5. Nó (Node): computador ligado à rede Ethereum que mantém uma cópia da blockchain e/ou processa transações.
  6. Proof of Work (PoW) ou Prova de Trabalho: mecanismo de consenso inicial do Ethereum, exigindo que os mineradores solucionem problemas matemáticos complexos para validar transações (veja mais abaixo).
  7. Proof of Stake (PoS) ou Prova de Participação: mecanismo de consenso atual do Ethereum, baseado na quantidade de ETH que um utilizador detém e está disposto a “apostar” para validar transações e criar novos blocos (veja mais abaixo).
  8. Hash Rate: velocidade com que um dispositivo de mineração executa operações no blockchain. Um maior hash rate aumenta a probabilidade de minerar com sucesso um bloco.
  9. Smart Contract (contrato inteligente): contrato que se autoexecuta com os termos do acordo incorporados diretamente no código de programação.
  10. Gas: taxa cobrada aos utilizadores para realizar transações e executar contratos inteligentes na rede Ethereum, utilizada para distribuir recursos da rede.
  11. Wallet (carteira digital): software ou hardware onde se armazenam, enviam e recebem criptomoedas como o Ether.
  12. Mineradora de Ethereum: no contexto do sistema PoW, que era usado pelo Ethereum até a atualização para o PoS, o termo “mineradora de Ethereum” refere-se ao hardware e software utilizados para realizar o processo de mineração da criptomoeda.
  13. Pool de mineração: agrupamento de mineradores que juntam os seus recursos computacionais para aumentar as probabilidades de minerar um bloco e partilhar as recompensas.
  14. Pool de staking: agregação de recursos de vários detentores de criptomoedas, permitindo-lhes participar conjuntamente na validação de transações em redes Proof of Stake. Ao juntarem-se, aumentam as chances de serem escolhidos para validar transações e ganhar recompensas.

Proof of Stake, uma nova forma de “minerar” Ethereum

Um dos eventos mais marcantes não só na história do Ethereum, mas também das criptomoedas, foi o The Merge. No dia 15 de setembro de 2022, o ETH fez a transição do protocolo Proof of Work (PoW) para o sistema Proof of Stake (PoS). A atualização foi amplamente aclamada pelos especialistas como um marco notável, pois possibilitou uma redução no consumo de energia elétrica da mineração desta moeda em mais de 90%.

Além disso, essa é uma boa notícia para quem procurava saber como minerar Ethereum em PC Windows ou Linux. O facto é que a mudança impactou diretamente a forma de criar novos blocos. Se antes eram necessárias máquinas potentes para realizar cálculos complexos impostos pelo sistema PoW, o processo do protocolo PoS facilitou a geração de novos blocos e a validação de transações. Agora, esse trabalho se baseia mais na participação e retenção de Ether do que na capacidade computacional dos mineradores.

Ethereum PoS

Princípios do staking em PoS

No PoS, ao invés da mineração que exige um elevado poder computacional para resolver operações matemáticas, os participantes são escolhidos para criar novos blocos e validar transações com base na quantidade de criptomoeda que “apostam” na rede. Este processo de seleção envolve vários critérios, incluindo a quantidade de criptomoeda apostada e o tempo que esse montante é mantido pelo participante. Quanto maior o stake, maiores as chances de ser selecionado para validar transações.

Recompensas e riscos do staking

Os participantes que se tornam validadores no sistema PoS recebem recompensas por contribuírem com a validação e manutenção da rede. Este esquema de recompensas incentiva um comportamento honesto e responsável, sendo que uma conduta desleal ou um desempenho inadequado pode levar à perda de parte ou da totalidade do valor apostado. Esta penalização serve como um mecanismo eficaz para desencorajar ataques maliciosos à rede.

Benefícios do PoS

O PoS destaca-se pela sua eficiência energética, eliminando a necessidade de equipamentos de mineração intensivos em energia, tão característicos no sistema PoW. Além disso, oferece uma segurança reforçada, pois ataques mal-intencionados exigiriam um investimento considerável na moeda, que estaria em risco em caso de comportamento desonesto. Outra vantagem é a maior acessibilidade, dado que não são necessários equipamentos especializados, permitindo uma participação mais ampla na validação da rede.

Novas formas de ganhar Ethereum

Após a transição do Ethereum para o sistema PoS, as modalidades de interação com a rede Ethereum e de obtenção de recompensas sofreram uma evolução significativa, como descrito na secção anterior. Atualmente, as principais opções centram-se no staking e nas alternativas de mineração de outras criptomoedas. Conheça cada uma delas abaixo.

Staking no Ethereum 2.0

O staking emerge como a forma predominante de participação na nova era do Ethereum. Indivíduos detentores de pelo menos 32 ETH (cerca de 57 mil euros) podem tornar-se validadores, contribuindo de forma direta para a segurança e operacionalidade da rede, além de participarem na criação de novos blocos. Para aqueles que não possuem toda essa quantia, existem os pools de staking (saiba mais abaixo), que possibilitam a combinação de recursos de vários detentores de Ether para participar no processo de staking e, assim, receber recompensas proporcionais ao investimento.

Pool de Staking

Existem diversas plataformas que oferecem serviços de pool de staking para Ethereum. A grande vantagem desta modalidade é que, para participar do processo de validação e ganhar recompensas, os utilizadores não precisam possuir a quantidade mínima de 32 ETH necessária para staking direto. Aqui estão algumas das plataformas mais conhecidas e confiáveis:

  • Lido Finance – A Lido destaca-se como uma das plataformas de staking mais populares, proporcionando staking líquido para Ethereum. Isto implica que os utilizadores recebem tokens representativos do seu staking, que podem ser utilizados em diversas aplicações de finanças descentralizadas (DeFi).
  • Rocket Pool – O Rocket Pool, um protocolo descentralizado, facilita o staking de quantidades menores de ETH. É reconhecido pela sua natureza descentralizada e pela oportunidade de criar mini-pools próprios.
  • Binance – Reconhecida como uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo, a Binance disponibiliza serviços de staking para Ethereum, possibilitando que os utilizadores participem diretamente do staking através da sua plataforma.
  • Coinbase A Coinbase, outra importante exchange do mercado, apresenta opções de staking de Ethereum para os seus utilizadores, caracterizando-se por um processo simplificado e integrado à sua interface.
  • Kraken – A Kraken, mais uma plataforma de criptomoedas importante, também oferece serviços de staking para Ethereum, permitindo que os utilizadores obtenham recompensas ao participarem do staking por meio da sua plataforma.
  • Huobi – A Huobi disponibiliza opções de staking de Ethereum, oferecendo um método fácil e acessível para os utilizadores se envolverem nessa atividade.
  • StakeWise – Especializada em staking de Ethereum, a StakeWise oferece pools de staking e recompensas diárias, destacando-se no setor.
  • Blokovi – Menos conhecida, mas igualmente relevante, a Blokovi fornece serviços de staking de Ethereum, com uma interface amigável aos utilizadores.

Ao escolher uma plataforma para staking de Ethereum, é importante considerar vários fatores, como reputação, taxas cobradas, segurança e facilidade de uso. Cada uma tem suas próprias características e benefícios, e a escolha depende das necessidades e preferências pessoais de cada utilizador. É também crucial estar ciente dos riscos associados ao staking, incluindo a volatilidade do mercado e o risco de penalidades na rede.

Serviços de Staking de Terceiros

Para quem prefere uma abordagem mais passiva, as plataformas de staking e as bolsas de criptomoedas proporcionam a opção de depositar ETH. Estes serviços facilitam o processo de staking, que é feito em nome do cliente, sendo ideais para quem não deseja envolver-se nos aspectos técnicos ou de gestão, embora normalmente incorporem taxas pelo serviço.

Alternativas de mineração

Com a extinção da mineração de Ethereum PoW, muitos mineradores redirecionaram as suas atenções para outras criptomoedas que mantêm esse protocolo ativo, como o Ethereum Classic ou o Ravencoin. A mineração destas alternativas permite aos mineradores converter as suas recompensas em ETH, mantendo-se ativos no ecossistema Ethereum. Esta abordagem permite aos mineradores capitalizar no seu hardware existente e continuar a obter rendimentos em criptomoedas.

Investimento em Ethereum

Para além do staking e da mineração de criptomoedas alternativas, uma forma indireta de envolvimento no ecossistema Ethereum é a aquisição direta e a retenção de ETH. Esta opção é adequada para aqueles que preferem evitar o envolvimento técnico, concentrando-se no potencial de valorização a longo prazo do ativo digital.

Exemplo prático: Como fazer staking na Binance

Logomarca Ethereum

Fazer staking de Ethereum na Binance é uma forma prática de ganhar recompensas pelo seu investimento em criptomoedas, com a flexibilidade de escolher entre diferentes opções de staking para atender às suas necessidades e objetivos de investimento. O processo é relativamente simples e acessível, mesmo para aqueles que são novos no mundo das criptomoedas. Aqui está um guia passo a passo:

Binance

  • Baixas taxas
  • Mais de 600 criptomoedas
  • Maior troca de criptomoedas

1. Crie uma conta na Binance

  • Registo: Se ainda não tiver uma conta na Binance, comece por se registar no site oficial. Terá de fornecer alguns dados pessoais e passar por um processo de verificação de identidade.
  • Segurança: É recomendável ativar medidas de segurança adicionais, como a autenticação de dois fatores (2FA), para proteger sua conta.

2. Deposite Ethereum na sua conta Binance

  • Depósito de ETH: Faça login na sua conta Binance, vá até à seção “Carteira” e selecione “Fiat e Spot”. Depois, procure por Ethereum (ETH) e clique em “Depositar”. Copie o endereço de depósito de ETH fornecido e use-o para transferir Ethereum da sua carteira ou de outra exchange para a Binance.
  • Confirmação: Aguarde a confirmação da transação na blockchain do Ethereum, o que pode levar algum tempo, a depender do congestionamento da rede.

3. Entre na plataforma de staking da Binance

  • Navegação: No site da Binance, encontre a seção “Finance” no menu superior e selecione “Binance Earn” ou “Staking”.
  • Exploração de opções: Dentro de “Binance Earn”, encontrará diferentes opções de staking, incluindo staking bloqueado e staking flexível.

4. Escolha uma opção de staking de Ethereum

  • Opções de staking: Escolha entre staking bloqueado (onde seus ETH ficarão bloqueados por um período fixo, mas geralmente com uma taxa de retorno mais alta) ou staking flexível (que permite retirar seu ETH a qualquer momento, mas com uma taxa de retorno menor).
  • Termos e condições: Leia atentamente os termos e condições do produto de staking escolhido. Verifique a duração do staking, a taxa de retorno estimada e quaisquer penalidades por retirada antecipada.

5. Faça staking do seu Ethereum

  • Staking: Siga as instruções na plataforma para “stakear” seu Ethereum. Isso geralmente envolve especificar a quantidade de ETH que deseja apostar e confirmar a transação.
  • Monitoramento: Após ter feito o staking do seu ETH, você pode monitorar o desempenho e as recompensas acumuladas na sua conta Binance.

6. Gerenciamento e retirada

  • Gerenciamento: Mantenha-se informado sobre a performance do seu staking e qualquer mudança nas taxas de retorno.
  • Retirada: Se precisar acessar seus fundos, você pode optar por desfazer o staking, sujeito aos termos do produto específico que escolheu.

Notas Importantes

  • Riscos: Staking envolve riscos, incluindo volatilidade no preço do Ethereum e questões associados à plataforma.
  • Atualizações: Mantenha-se atualizado com as políticas da Binance, pois elas podem mudar e afetar suas opções e recompensas de staking.

Onde armazenar tokens ETH

Para armazenar os ETH arrecadados ou negociados, precisa de uma carteira compatível com Ethereum. Basicamente, existem dois tipos:

Carteira digital Ledger
  • Carteira online ETH (hot wallet) – Esta carteira online é acessível a partir de um computador e tem a vantagem de ser fácil de configurar e usar. No entanto, é mais vulnerável a ataques de hackers do que uma carteira física. Exemplos incluem MetaMask, MyEtherWallet, etc.
  • Carteira de hardware (física) ETH (hard wallet) – Esta carteira física é um dispositivo (veja foto ao lado) que se conecta a um computador e onde os seus tokens ETH são armazenados. Ela oferece excelente segurança e permite armazenamento offline, mas tem a desvantagem de ser paga e mais complexa de usar. Exemplos incluem Ledger, Trezor, etc.

Vale a pena fazer staking de Ethereum?

Desde a implementação do sistema PoS, custos com equipamento e energia deixaram de ser uma preocupação importante para quem deseja fazer staking de Ethereum. Agora o investidor deve ficar atento à rentabilidade do staking, que pode ser atraente, especialmente em períodos de valorização do mercado.

A Binance, por exemplo, oferece uma taxa de recompensa de staking para Ethereum (ETH) de 5,7%, superior a muitos investimentos no mercado tradicional.

Mas é importante notar que as taxas de staking podem variar com o tempo devido a mudanças nas políticas da plataforma escolhida, condições de mercado, e outros fatores.

Vantagens do staking de ETH:

  • Possibilidade de ganhos financeiros
  • Possibilidade de participar de pools de staking
  • Investimento indireto no Ethereum
  • Participação direta no desenvolvimento da blockchain
  • Desenvolvimento de habilidades

Desvantagens do staking de ETH:

  • Volatilidade do mercado de criptomoedas
  • Investimento inicial significativo (caso queira fazer staking solo)
  • Necessidade de adquirir conhecimentos técnicos

Mineração de Ethereum - perguntas frequentes

Quem pode fazer staking de Ethereum?

Qualquer pessoa com reservas em Ethereum pode fazer staking da criptomoeda. Com a mudança para o sistema PoS, o staking emerge como a forma predominante de participação na nova era do Ethereum. Indivíduos detentores de pelo menos 32 ETH (cerca de 57 mil euros) podem tornar-se validadores e, assim, contribuir diretamente para a segurança e o funcionamento da rede, além da criação de novos blocos. Para aqueles que não possuem toda essa quantia, existem os pools de staking, que possibilitam a combinação de recursos de vários detentores de Ether para participar no processo de PoS e, assim, receber recompensas proporcionais ao investimento. O importante é saber que equipamentos potentes e caros não são necessários para executar esta atividade. Hoje é possível ganhar Ethereum a partir do seu celular Android ou iPhone. Basta acessar exchanges que disponibilizam o serviço.

Quando o Ethereum mudará para o Proof of Stake?

De facto, o evento significativo na história do Ethereum, denominado The Merge, ocorreu em setembro de 2022, marcando a transição do protocolo Prof of Work para o sistema Proof of Stake. Esta atualização é amplamente aclamada pelos especialistas como um marco notável, resultando numa impressionante redução do consumo de energia elétrica em mais de 90%. Este avanço representa não apenas um triunfo tecnológico, mas também um passo vital em direção a uma maior sustentabilidade ambiental no universo das criptomoedas.

O staking de Ethereum é legal em Portugal?

Sim, como em muitos outros países, não há leis específicas no país que proíbam a atividade. Portanto, é possível fazer staking de Ethereum em Portugal. No entanto, é importante considerar que esta atividade pode ter implicações fiscais.

Sobre o autor

Henrique Andrade Camargo

Jornalista com paixão por tecnologia e sustentabilidade. Medalhista de ouro no Prêmio Malofiej. Trabalhou na Avast, Grupo Abril e Mercado Ético.