Entusiastas de criptoativos ou não, os NFTs se tornaram um termo que quase todos já ouviram falar. Principalmente após 2021, quando o assunto, juntamente com o metauniverso, foi destaque frequente no noticiário global. Mesmo com a popularidade do termo, ainda hoje poucos são capazes de explicar de forma simples e correta o que é um NFT. Assim, preparamos este guia com tudo o que é preciso saber sobre esses tokens, bem como seu funcionamento. Também abordamos o potencial desta tecnologia, principais usos e por que geram críticas.

Como funcionam os NFTs

O que significa NFT? Bem, NFT é uma sigla para o termo non-fungible toke ou, em português, token não fungível. O nome destaca as duas características principais de um NFT.

Não fungibilidade, o que é isso?

O que é um NFT

Em primeiro lugar, o conceito de “não fungibilidade” refere-se a algo único, que não pode ser trocado. Vamos dar um exemplo. Uma pessoa que emprestou 10 euros a um amigo não espera que este lhe devolva exatamente a mesma nota de 10 euros, certo? O mesmo se aplica se tiver dado uma garrafa de leite ao seu vizinho. Neste exemplo, o dinheiro em espécie e o leite são “fungíveis”. Ou seja, essas substâncias são designadas apenas em termos de tipo (ou seja, leite, euros) e quantidade (ou seja, 10 €, 1 litro).

No que diz respeito aos NFT, eles são não fungíveis. Portanto, um NFT refere-se a uma obra ou objeto único que não tem equivalente. Na prática, esta obra pode assumir a forma de uma imagem, vídeo, GIF, som, etc.

No entanto, tenha em mente que isso não significa que um NFT só possa existir em uma única cópia. O criador do NFT decide quantas cópias deseja fazer do seu NFT. Por exemplo, um músico pode colocar à venda, sob a forma de NFT, uma amostra de música em várias cópias. A noção de fungibilidade não é exclusiva dos NFT e é encontrada, em particular, no campo jurídico.

Coinbase

  • Intercâmbio regulado
  • Plataforma fácil de usar
  • Formação gratuita em criptomoedas

O que é um token?

A segunda característica específica dos NFT é a do “token”. No universo das criptomoedas, um token é um ativo digital que opera em uma blockchain. Uma blockchain pode ser comparada a um registro público online. Em outras palavras, quando você compra um NFT, a transação é feita em criptomoeda. Mas, mais importante, você recebe um token que o identifica como o único proprietário desse objeto. Este token é armazenado de forma indelével na blockchain. Esse sistema de “tokenização” permite que você se proteja, por exemplo, contra a falsificação, algo muito comum no campo da arte.

O mercado de NFT em 2022

O mercado de NFT emergiu das sombras em 2021. Vamos analisar o estado do mercado em 2023.

Uma bolha prestes a estourar?

O mercado de NFT realmente explodiu em 2021, atingindo uma capitalização de 41 bilhões de dólares! A principal estratégia de marketing no campo dos NFTs ocorre nas redes sociais. Desde 2021, muitos artistas, atletas e outras celebridades aderiram aos tokens não fungíveis. Mike Tyson, Justin Bieber, Shaquille O’Neal, Jimmy Fallon, Steve Aoki, Paris Hilton, Travis Barker, Neymar… a lista é extensa. Não dá para negar que os NFTs encontraram rapidamente seu público.

Além dessas personalidades, os NFT também conseguiram fazer sua entrada na indústria. Considerando os NFT como uma nova ferramenta de publicidade e uma forma de gerar novas receitas, as marcas se lançaram neste universo. Isso inclui marcas como: Budweiser, Adidas, McDonald’s, entre outras.

O resultado foi um efeito de massa que alguns rapidamente qualificaram como uma bolha. Aproveitando o crescimento paralelo do mercado de criptomoedas, o preço dos NFT explodiu em 2021.

Em 2023, o mercado de NFT está mais lento, devido à queda no mercado de criptomoedas. A baixa vem desde meados de 2022, quando as vendas de NFT caíram 75% em 30 dias.

O ecossistema NFT em 2023

Opensea, plataforma de venda de NFT

Do ponto de vista tecnológico, a maioria dos NFT são negociados em marketplaces. Estas são plataformas onde os utilizadores podem adquirir, vender e trocar NFT. Em resumo, se deseja comprar um NFT em um marketplace, geralmente é preciso:

  • Abrir uma conta no marketplace;
  • Depositar fundos (geralmente na criptomoeda usada pelo marketplace);
  • Adquirir o seu NFT (geralmente a preço fixo ou em leilão).

O Ethereum é a blockchain que aloja a maioria dos marketplaces NFT no momento. A seguir ao Ethereum, encontram-se as blockchains Solana e Binance Smart Chain. Atualmente, a principal plataforma NFT é a OpenSea (hospedada no Ethereum).

Um domínio que ainda precisa de convencer

Reprodução do NFT Bored Ape

Os NFT são um domínio intrigante, mas que também gera algum ceticismo. Como qualquer tecnologia emergente, os NFT ainda não são amplamente conhecidos. Mas, acima de tudo, o domínio cresceu tão rapidamente que envolveu somas por vezes exorbitantes.

Por exemplo, vejamos o caso de Justin Bieber, um grande colecionador de NFT. Estima-se que o cantor possua cerca de 2.000 NFTs! Ele detém, em particular, vários NFTs da famosa coleção Bored Ape (foto ao lado), cada um valendo vários milhões de euros! Se não sabe o que é a coleção Bored Ape, são retratos de macacos… Por exemplo, em fevereiro de 2022, Justin Bieber comprou o NFT Bored Ape Yacht Club #3001 (BAYC) pelo equivalente a US$ 1,29 milhão.

O NFT mais caro do mundo é o The Merge, uma criação do artista digital incógnito Pak. A obra foi adquirida por quase 29 mil indivíduos, que adquiriram mais de 312 mil cotas em conjunto, despendendo um montante total de US$ 91,8 milhões de dólares através da plataforma Nifty Gateway.

Este é apenas um exemplo entre muitos que ilustra os preços insanos alcançados por alguns NFTs. Essa escalada leva muitos a considerar os NFTs como uma bolha especulativa. E de certa forma, não se discute com o fato da queda nos preços desses ativos digitais.

Por exemplo, em abril de 2021, no auge do mercado, o primeiro tweet da história foi vendido em NFT por meros US$ 2,9 milhões! Era um tweet de Jack Dorsey, CEO do Twitter na época, publicado em 21 de março de 2006. O conteúdo do tweet era: “Estou a criar a minha conta no Twitter“. O feliz proprietário deste NFT é Sina Estavi, CEO da Bridge Oracle, uma empresa malaia. Este NFT foi leiloado novamente em abril de 2022. Se o seu proprietário pensava que poderia obter vários milhões de euros por ele, isso não aconteceu, pois as melhores ofertas ficaram em torno de apenas alguns milhares de euros!

Esta anedota destaca a extrema volatilidade dos preços no mercado de NFT. Embora a especulação seja comum em muitos domínios emergentes, o fato de os NFT estarem intrinsecamente ligados a um mercado de criptomoedas ainda em desenvolvimento não ajuda. O futuro dos NFTs depende, portanto, do estabelecimento de um ecossistema de criptomoedas robusto e estável.

Binance

  • Baixas taxas
  • Mais de 600 criptomoedas
  • Maior troca de criptomoedas

O que irá mudar

A volatilidade dos NFT não deve, no entanto, fazer esquecer o seu potencial. Num mundo cada vez mais digital, com utilizadores ávidos por descentralização, os NFT têm certamente um lugar a conquistar!

Oportunidade para os artistas

Pelas suas características, os NFT são naturalmente adequados para o domínio da arte e da música. Por exemplo, com os tokens não fungíveis, um artista pode vender a sua obra ou álbum diretamente aos seus fãs. O artista mantém assim um controlo total sobre a sua obra, o que não acontece atualmente quando recorre a estúdios, por exemplo. Desta forma, pode obter mais receitas.

Os NFT também representam uma nova forma de envolvimento dos fãs com os seus artistas. Ao comprar NFT, os fãs podem beneficiar de vantagens exclusivas. O mesmo se aplica às empresas. Em troca de NFT, clientes podem obter cupons e outras promoções.

Novos mercados com os NFTs

A longo prazo, os NFT podem estabelecer-se como o novo mercado da arte digital. Como é comum com novas tecnologias, a legislação está atrasada. Portanto, ainda não é verdadeiramente possível vender NFT em leilões físicos em algumas partes do mundo. No entanto, com a evolução do quadro legal, existe uma forte probabilidade de que isso seja possível num futuro relativamente próximo. Isso permitiria dividir o mercado de arte, criando um domínio digital e imaterial adequado às novas necessidades dos consumidores.

Em Portugal, os NFTs são geralmente classificados como ativos intangíveis, digitais ou propriedade virtual. Isto significa que não são considerados moedas ou criptomoedas, mas sim representações digitais únicas de itens como: peças de arte, música, vídeos e outros objetos colecionáveis. A Autoridade Tributária e Aduaneira do país considera os NFTs como bens sujeitos a tributação quando há transações comerciais envolvidas, incluindo a venda e revenda desses bens incorpóreos.

No que se refere ao leilão de NFTs, não há em Portugal uma regulamentação específica para a atividade, e a lei portuguesa não proíbe a sua venda. Assim, as leiloeiras estão autorizadas a realizar leilões de qualquer tipo de bem, incluindo os digitais.

Além disso, os NFT têm o potencial para revolucionar o mundo dos videogames. Ao adquirir NFT, os utilizadores podem participar em jogos e esperar obter rendimentos passivos. Por exemplo, a Sorare é uma bem-sucedida empresa francesa que oferece cartas de jogadores de futebol em formato NFT. Com estas cartas, os utilizadores podem montar as suas próprias equipas e ganhar recompensas.

Uma aplicação que tira partido das vantagens da blockchain

Por fim, os NFT fazem todo o sentido com a blockchain. Mas será que NFTs são seguros? Esta tecnologia, embora ainda mal compreendida, está a ser cada vez mais utilizada na indústria. Na verdade, a blockchain oferece verdadeiras vantagens em termos de proteção de dados e trocas diretas (ou seja, sem intermediários). Assim, graças à blockchain, o domínio dos NFT fica protegido contra a falsificação.

ByBit

  • Ampla variedade de produtos de investimento
  • Plataforma transparente
  • Conta demo gratis

Sobre o autor

Henrique Andrade Camargo

Jornalista com paixão por tecnologia e sustentabilidade. Medalhista de ouro no Prêmio Malofiej. Trabalhou na Avast, Grupo Abril e Mercado Ético.